OFICINAS MOVIMENTAM A NOITE DESTA QUINTA NA X SEMANA DA COMUNICAÇÃO

Texto: Ana Paula Bissant

Edição: Profa. Viviane Maia

O evento X Semana da Comunicação e I Seminário da Consciência Negra, realizado pelos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Faculdade Araguaia, chega à sua quarta noite. O penúltimo dia (23/11) foi reservado às oficinas, que serão ministradas por experientes professores e profissionais que atuam no mercado, das 18h30 às 22h, na unidade Bueno. Podem participar os inscritos no evento.

Os temas das oficinas são diversificados, passando por redação publicitária, branding, marketing digital, assessoria de imprensa, produção de jingles, jornalismo investigativo, esportivo e literário, finanças, fotojornalismo e fotografia publicitária, jingles, produção de conteúdo para mídias sociais, produção em telejornalismo, narração esportiva, edição de vídeo e photoshop para publicidade. Confira a lista completa abaixo.

publicitária especializada em marketing Ana Maria Guizzetti

professora universitária Raquel de Paula Ribeiro

administrador e marqueteiro Frederico Martins

jornalista e fotógrafo Marcello Dantas

Professor Universitário Murilo Bernado Bueno

Publicitário Vinícius Dalla

Repórter da TV Anhanguera Victor Hugo de Araújo

Deire Assis

Jornalista Carla Lacerda

Jornalista e Professora Universitária Silvana Monteiro

Jornalista Jovana Colombo

Rachel de Araújo

Tatiana Carilly

Paula Pires

OFICINA 1
Tema: Branding e marketing digital para pequenas e médias empresas
Oficineiro: Ana Guizzetti

http://www.araguaiaonline.com/para-quem-quer-impulsionar-o-proprio-negocio/

OFICINA 2
Tema: Desafios da redação publicitária: à procura da mensagem perfeita
Oficineiro: Raquel de Paula Ribeiro

http://www.araguaiaonline.com/a-procura-da-mensagem-perfeita/

OFICINA 3
Tema: Finanças comportamentais: por que gastamos mais do que devemos?
Oficineiro: Frederico Martins

http://www.araguaiaonline.com/por-que-gastamos-mais-do-que-devemos/

OFICINA 4
Tema: Foto e videojornalismo nas narrativas visuais
Oficineiro: Marcello Dantas

http://www.araguaiaonline.com/jornalismo-em-imagens-do-cotidiano/

OFICINA 5
Tema: Fotografia Publicitária
Oficineiro: Murilo Berardo

http://www.araguaiaonline.com/publicidade-em-imagens/

OFICINA 6
Tema: Jingle – muito além do chiclete
Oficineiro: Vinícius Dalla

http://www.araguaiaonline.com/muito-alem-do-chiclete/

OFICINA 7
Tema: Jornalismo Esportivo
Oficineiro: Victor Hugo de Araújo

http://www.araguaiaonline.com/esporte-em-pauta/

OFICINA 8 
Tema: Jornalismo Investigativo
Oficineiro: Deire Assis

OFICINA 9
Tema: Jornalismo Literário
Oficineiro: Carla Lacerda

http://www.araguaiaonline.com/quando-jornalismo-e-literatura-se-encontram/

OFICINA 10
Tema: Mídias Sociais: o telefone celular como ferramenta de produção de notícias
Oficineiro: Silvana Monteiro

http://www.araguaiaonline.com/celular-como-ferramenta-de-producao-de-noticia/

OFICINA 11
Tema: O papel da assessoria de imprensa na gestão de crise
Oficineiro: Jovana Colombo

http://www.araguaiaonline.com/qual-o-papel-de-uma-assessoria-de-imprensa-na-gestao-de-crise/

OFICINA 12
Tema: Os desafios da produção em telejornalismo e a aventura do ao vivo
Oficineiro: Rachel de Araújo

OFICINA 13
Tema: Voz e corpo no TV
Oficineiro: Tatiana Carilly

OFICINA 14
Tema: Planejamento e gestão de conteúdos em mídias sociais
Oficineiro: Paula Pires

OFICINA 15
Tema: Edição de vídeo em Adobe Première
Oficineiro: Rafael Simões

Em homenagem à cultura afro-brasileira

Atividades culturais que abrem as noites da X Semana da Comunicação e I Seminário da Consciência Negra destacam a cultura afrobrasileira

Texto: Paulo Henrique Pane

Edição: Profa. Viviane Maia

Os sons da África e o legado da cultura afrobrasileira vem sendo destacados na programação cultural da a X Semana da Comunicação e I Seminário da Consciência Negra, realizada pelos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Faculdade. Nesta quarta-feira, a partir das 18h30, haverá apresentação do grupo grupo de Capoeira Angola, sob o comando do mestre Leninho Sá. Na sequência, mesa-redonda sobre os desafios enfrentados pelos negros no mercado de trabalho.   http://www.araguaiaonline.com/desafios-do-mercado-de-trabalho-sera-pauta-do-seminario-da-consciencia-negra/

Grupo Capoeira Angola

 

Mestre Leninho Sá

A primeira noite contou com a apresentação do Grupo Coró de Pau, que animou a plateia com a sua percussão. Os participantes não se fizeram de rogados e caíram no batuque. Alguns mais ousadas apresentaram até coreografias no palco. “Esta noite me senti realmente representada”, comentou a aluna de Jornalismo Tálita Moaby. Teve ainda apresentação musical dos alunos Oliver e Abner.

Na noite de terça, a animação ficou por conta dos pockets shows voz e violão dos estudantes Anne Ribeiro e Iury Johnny. Ambos homenagearam repertório de artistas negros, como Grupo Raça Negra e Macau, autor do sucesso gravado por Sandra de Sá Olhos Coloridos. O encerramento das atividades, na sexta-feira 24, contará com apresentação da banda de reggae Jahva e desfile As Cores da África.

   Grupo Coró de Pau

De acordo com a organização do evento, o objetivo é destacar a importância e a influência da cultura africana no Brasil e o legado deixado pela miscigenação. “Queremos destacar pelo menos um pouquinho da riqueza cultural fruto desta mistura de etnias. É uma riqueza enorme que muitas vezes não ganha o devido destaque por conta da supremacia da cultura branca. Precisamos dar voz aos negros e tirá-lo da invisibilidade”, explica a coordenadora dos cursos e também do evento, professora Viviane Maia.

Semana

Estas atividades integram a programação da X Semana da Comunicação e I Seminário da Consciência Negra, realizada pelos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Faculdade, que começou nesta segunda-feira (20/11) e prossegue até sexta (24/11). Além dos debates, mesas-redondas, conferências, oficinas e premiação de trabalhos práticos, o evento conta com uma agenda de atividades culturais que destacam a influência africana na cultura brasileira.

Atrações

Capoeira Angola

O grupo que se apresenta logo mais é comandado por Helênio David da Silva Sá, ou melhor, mestre Leninho Sá, que iniciou autonomamente, a prática de Capoeira na Cidade de Goiás/GO, aos 16 anos, quando aprendeu a confeccionar os próprios instrumentos musicais. Torna-se ao longo de 30 anos de prática, além de exímio capoeirista, excelente percussionista e artesão. Foi convidado por mestre Cobra Mansa – Cinésio Feliciano Peçanha, coo-fundador da Fundação Internacional de Capoeira Angola (FICA) – a integrar o coletivo de núcleos da FICA. Em 2015 recebe o título de Mestre de Capoeira Angola.

Criada em 1995, pelos mestres Jurandir, Cobra Mansa e Valmir, a Fundação Internacional de Capoeira Angola (FICA) realiza um trabalho de preservação, valorização e difusão da Capoeira Angola pelo mundo, unindo ações sociais e culturais para promover cidadania e desenvolvimento humano. Foi Mestre Cobra Mansa quem iniciou o primeiro núcleo da FICA em Washington DC. No Brasil, as suas sedes principais concentram-se nas capitais de Belo Horizonte (MG), Salvador (BA) e Rio de Janeiro (RJ). A FICA também está presente em dez cidades dos EUA, no México, Costa Rica, Suécia, Alemanha, Dinamarca, Japão, Rússia e Moçambique. Atualmente, há sete mestres na comunidade da Fundação Internacional de Capoeira Angola (FICA): Mestre Cobra Mansa, Mestre Jurandir Nascimento, Mestre Valmir Damasceno, Mestre Silvinho, Mestre Rogério, Mestra Gegê e Mestre Leninho Sá.

Coró de Pau

A associação Coró de Pau é uma entidade que engloba vários trabalhos. Tem uma banda Coró de Pau, os blocos Coró de Pau e Coró Mulher, além da Fábrica Banbaka Artesanais. A associação oferta oficinas permanentes e palestras a pessoas em situação de vulnerabilidade social. Os instrumentos são fabricados no próprio projeto. A música do Coró de Pau mistura diferentes influências de música brasileira a partir dos tambores africanos. Tem um repertório próprio entre eles ritmos como vamunha, afoxé, aguerê, maracatu e samba-afro.

Banda Jahva e desfile Cores da África

A banda é recente, que começou este ano com um repertório musical focado no jazz e reggae. A banda é formada por Madson, vocal; André, contra-baixo; e Gustavo, percussão. No pocket show que apresentarão na próxima sexta, vão tocar musicas autorais. Enquanto a banda se apresenta, será realizado o desfile As Cores da África, com a participação de 15 modelos que vão apresentar roupas que remetem à cultura africana.

Voz e violão de Anne Ribeiro e Iury Johnny

Anne Ribeiro é aluna de Jornalismo, toca violão e canta apenas por hobbie. Foi convidada a fazer uma breve apresentação onde destacaria a música feita por negros no Brasil. Investiu no clássico Olhos Coloridos, clássico de Macau imortalizado na voz de Sandra de Sá; e A Carne, de Seu Jorge, transformada em hino na voz Elza Soares. Já Iury Johnny, estudante de Publicidade, cantou clássicos do grupo Raça Negra.

Desafios do mercado de trabalho será pauta do Seminário da Consciência Negra

Texto: Daniel Figueredo e Nayra Carvalho

Edição: Profa. Viviane Maia

No próximo dia 22, será realizado o I Seminário Sobre a Consciência Negra junto com a programação da X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia – que ocorrerá de 20 a 24 de novembro, na unidade Bueno. A noite dedicada à cultura afro-brasileira será aberta com uma apresentação Grupo Capoeira Angola, às 18h30, no auditório Bueno. Às 19h, começa a mesa-redonda Os desafios enfrentados pelos negros no mercado de trabalho.

A mesa de debate contará com a presença da jornalista Ivana Leal, publicitária Mariana Paiva e as historiadoras e ativistas Watusi Santiago e Ana Rita de Castro. Todas são mulheres que conhecem as dificuldades enfrentadas no mercado de trabalho e que lutam pela igualdade racial no estado de Goiás. Além disso, a atividade será mediada pelo aluno Gustavo Araújo, do curso de Publicidade e Propaganda, que representará todos o corpo discente, em especial os alunos negros.

historiadora e ativista Ana Rita de Castro

jornalista Ivana Leal

historiadora e ativista Watusi Santiago

publicitária Mariana Paiva

A coordenadora dos cursos de Jornalismo e Publicidade, professora Viviane Maia, falou sobre a escolha de um aluno para mediar a mesa redonda. “No nosso corpo docente não temos professores negros, por isso escolhemos um aluno para representar a comunidade acadêmica fazendo a mediação do bate-papo. Não faria o mínimo sentido a discussão ser mediada pelo um branco, não é mesmo?”, questiona.

Realizado pela Coordenação dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, o evento tem como público-alvo alunos, professores e pesquisadores da Comunicação Social.  Para contemplar a homenagem à cultura afro-brasileira, durante todos os dias da X Semana da Comunicação estão sendo realizadas atividades culturais que destacam a cultura negra, como rap, capoeira, reggae e muito mais.

Consciência Negra no Brasil

O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro. No Brasil, foi instituído oficialmente pela lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi, o então líder do Quilombo dos Palmares – situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco, na região Nordeste do Brasil

Zumbi foi o principal representante dos negros na luta contra a escravidão do Brasil Colonial, e também líder do Quilombo dos Palmares – que atualmente fica no município de União dos Palmares, em Alagoas –, uma comunidade formada por escravos fugitivos dos engenhos, índios e brancos pobres expulsos de fazendas com uma população de aproximadamente trinta mil habitantes.

Ele foi degolado aos 40 anos de idade em 20 de novembro de 1695 sendo traído por um amigo e entregue as tropas de um inimigo. Sendo considerado um dos grandes líderes da história do Brasil, ele foi símbolo luta contra a escravidão, e também na luta pela liberdade de culto, religião e da cultura africana no Brasil.

O dia da sua morte 20 de novembro é lembrado e comemorado como dia da consciência negra. A data não é um feriado nacional, mas feriado municipal em milhares de cidades do Brasil. Geralmente a semana em cai o dia 20 de novembro é dedicada às comemorações da consciência negra.

SERVIÇO

I Seminário da Consciência Negra dos Cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda

Data: 22 de novembro

Horário: 18h30 às 22h

Atividade cultural: Grupo Capeira Angola

Mesa-redonda: Os desafios enfrentados pelos negros no mercado de trabalho

Local: Auditório Bueno da Faculdade Araguaia

Qual o papel de uma assessoria de imprensa na gestão de crise?

Texto: Jairo Menezes

Edição: Profa. Viviane Maia

Um dos maiores desafios de uma assessoria de imprensa é fazer a gestão de uma crise de imagem do assessorado na mídia. E para que os estudantes de Jornalismo e Publicidade e Propaganda possam aprimorar os ensinamentos, a jornalista Jovana Colombo entra em ação com a oficina O papel da Assessoria de Imprensa na Gestão de Crise, no dia 23/11, das 18h30 às 22 horas.

Jornalista Jovana Colombo

A atividade faz parte da programação da X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra, que teve início na última segunda-feira (20/11) e prossegue até sexta (24/11), na unidade do Bueno.

Jornalista Jovana Colombo

A oficina será desenvolvida para promover uma reflexão sobre o trabalho dentro de uma Assessoria de Imprensa. Do trabalho diário, à gestão de crise. Após exibição de conteúdo, com elemento surpresa e de forma interativa, os alunos promoverão soluções para situações apresentadas, e avaliarão a estratégia adotada pelo mercado.

​Crise faz parte da rotina da jornalista Jovana Colombo, que é uma das assessoras de imprensa do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) desde 2014. Ela é pós-graduada em Comunicação Empresarial e Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação (Ipog) e se formou em Comunicação Social com habilidade em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás (UFG).

SERVIÇO

O que: Oficina O papel da Assessoria de Imprensa na Gestão de Crise

Quem: Inscritos na X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra

Quando: 23/11, das 18h30 às 22h

Onde: Faculdade Araguaia, Unidade Bueno

Informações: http://www.faculdadearaguaia.edu.br

Celular como ferramenta de produção de notícia

Texto: Jairo Menezes

Edição: Profa. Viviane Maia

O jornalista não é onipresente. No cotidiano, há situação que se transformam em notícia frente a quem quer que seja. Por isso mesmo, a mídia de bolso é imprescindível para fazer os registros dos fatos. A câmera de um celular pode estar apontada para algo, ou gravar alguma declaração que garantem uma reportagem.

Para quem tem interesse em usar esse dispositivo tecnológico na produção de notícias, a jornalista e professora universitária Silvana Monteiro ministrará a oficina Midias sociais: o telefone celular como ferramenta de produção de notícias. A atividade será realizada no dia 23/11, das 18h30 às 22 horas, dentro da programação da X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra, que teve início na última segunda-feira (20/11) e prossegue até sexta (24/11), na unidade do Bueno.

Jornalista e Professora Universitária Silvana Monteiro

A internet é considerada um marco no processo de transformação. Isso não quer dizer que seja apenas para o jornalismo, vai além: para toda a comunicação (alcance, instantaneidade, acessibilidade, volume). Nesse contexto, os dispositivos móveis se configuram como a principal ferramenta de produção e veiculação da informação. Apropriar-se dessa ferramenta de maneira crítica e atrelada aos preceitos do jornalismo é o princípio básico da oficina.

Jornalista, Silvana Monteiro já trabalhou em jornais como repórter, no Diário da Manhã e no O Popular. Participou das assessorias de comunicação de órgãos governamentais (Agetop, Semarh, Secretaria Estadual de Industria e Comércio) e da Fundação Pró-Cerrado, além de já ter atuado como professora universitária na Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade federal de Goiás (UFG) e na Faculdade Araguaia. Atualmente leciona na Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC).

SERVIÇO

O que: Oficina Midias sociais: o telefone celular como ferramenta de produção de notícias

Quem: Inscritos na X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra

Quando: 23/11, das 18h30 às 22h

Onde: Faculdade Araguaia, Unidade Bueno

Informações: http://www.faculdadearaguaia.edu.br

Quando jornalismo e literatura se encontram

Texto: Jairo Menezes

Edição: Profa. Viviane Maia

Jornalismo Literário é o tema da oficina que a jornalista Carla Lacerda ministrará no dia 23/11, das 18h30 às 22 horas, durante a X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra, que teve início na última segunda-feira (20/11) e prossegue até sexta (24/11), na unidade do Bueno.

Jornalista Carla Lacerda

Como são produzidas reportagens literárias, quais são os requisitos para a produção desse tipo de jornalismo, o que é preciso para ler antes e em quem se espelhar. Essas e outras dúvidas serão esclarecidas durante os ensinamentos. Será apresentado o jornalismo literário como uma possibilidade de empreender na comunicação.

Jornalista Carla Lacerda

Jornalista, Carla Lacerda é apresentadora do programa Amor ao Esporte, da TV Brasil Central. Ela é autora de Sobreviventes do Césio – 20 anos depois, eleito o melhor livro de cultura pelo Sindicato das Indústrias Gráficas do Estado de Goiás (2008) e ganhador de menção honrosa no 30º Prêmio Vladimir Herzog (2008). Carla é pós-graduada em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário (ABJL) / Faculdade Vicentina (PR).

SERVIÇO

O que: Oficina de Jornalismo Literário

Quem: Inscritos na X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra

Quando: 23/11, das 18h30 às 22h

Onde: Faculdade Araguaia, Unidade Bueno

Informações:http://www.faculdadearaguaia.edu.br

A Faculdade Araguaia iniciou a X Semana da Comunicação

A Faculdade Araguaia iniciou a X Semana da Comunicação e I Seminário da Consciência Negra, com o tema Empreendedorismo e inovação: novos modelos de negócio na comunicação. Na conferencia de abertura, o evento recebeu o diretor de Impressos do Grupo Jaime Câmara, Raphael Veiga, para falar sobre a reinvenção das estratégias de negócios nas mídias tradicionais e como o jornalismo se adequa à era digital. Além dele o evento contou com a presença de diretores, coordenadora de cursos, professores e estudantes de Jornalismo e Publicidade e Propaganda.
O repórter Paulo Henrique Pane, do Portal Araguaia Online, acompanhou e traz mais detalhes. Confira.

 

Esporte em pauta

Texto: Jairo Menezes

Edição: Profa. Viviane Maia

Jornalismo Esportivo vira pauta na oficina ministrada pelo repórter da TV Anhanguera Victor Hugo de Araújo, no dia 23/11, das 18h30 às 22 horas. Haverá disputa para participar do treinamento, que integra a programação da X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra, que teve início na última segunda-feira (20/11) e prossegue até sexta (24/11), na unidade do Bueno.

Repórter da TV Anhanguera Victor Hugo de Araújo

Rotina do repórter esportivo, preparação e produção da pauta, execução da reportagem serrão temas abordados pelo jornalista, que também vai mostrar como apresentar um programa esportivo. A oficina contará com produção e interpretação de texto jornalístico, além de integração entre apresentadores de noticiários.

Victor Hugo Araújo é repórter da TV Anhanguera, afiliada da Rede Globo em Goiás e no Tocantins há três anos e oito meses. Ele participa da apresentação dos telejornais Bom Dia Goiás e Globo Esporte, além de produzir e cumprir pautas que acompanham o cotidiano dos times goianos. Dotado de um texto minucioso e rico em detalhes, já trabalhou na TV Serra Dourada, filiada do SBT em Goiás, na Rádio 730 AM (Goiânia) e TV Brasil Central (TBC).

SERVIÇO

O que: Oficina de Jornalismo Esportivo

Quem: Inscritos na X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra

Quando: 23/11, das 18h30 às 22h

Onde: Faculdade Araguaia, Unidade Bueno

Informações: http://www.faculdadearaguaia.edu.br

Muito além do chiclete

Texto: Jairo Menezes

Edição: Profa. Viviane Maia

Sabe aquela propaganda do rádio que quando inicia a introdução musical você já começa a cantar? Esse é o objetivo: criar uma identidade para a marca através de uma propaganda musicada. Quem quer dominar essa prática, tem que participar da oficina Jingle – Muito Além do Chiclete, ministrada pelo publicitário Vinícius Dalla, no dia 23/11, das 18h30 às 22 horas. A atividade faz parte da programação a X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra, que começou na última segunda-feira (20/11) e prossegue até sexta (24/11), na unidade do Bueno. As vagas são limitadas (12).

Publicitário Vinícius Dalla

A intenção é que os estudantes saibam que um jingle não é simplesmente uma propaganda cantada dentro de uma campanha publicitária. Serão demonstradas, com exemplos, as técnicas usadas. Além disso, haverá uma produção em conjunto, para mostrar o quanto é uma peça publicitária única, rica e que exige todos os recursos textuais de um redator.

Publicitário Vinicius Dalla

Vinícius Dalla é diretor de criação da Agência ZIG. Já passou como diretor de criação e redator pelas agências Tree, Jordäo, AMP, Crispim+Veiga e Inquieta. Ele é graduado em Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal de Goiás (UFG).

SERVIÇO

O que: Jingle: muito além do chiclete

Quem: Inscritos na X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra

Quando: 23/11, das 18h30 às 22h

Onde: Faculdade Araguaia, Unidade Bueno

Informações: http://www.faculdadearaguaia.edu.br

Publicidade em imagens

Texto: Jairo Menezes

Edição: Profa. Viviane Maia

Fotografia Publicitária é a oficina ministrada pelo publicitário e professor universitário Murilo Gabriel Berardo Bueno, no dia 23/11, das 18h30 às 22 horas. A atividade faz parte da programação da X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra, que começou no dia 20 e prossegue até a próxima sexta, 24 de novembro, na unidade do Bueno.

Professor Universitário Murilo Berardo Bueno

O objetivo é construir um olhar crítico na leitura das campanhas publicitárias e identificar o discurso implícito. A relação da imagem com a identidade da marca e o objetivo de comunicação nas peças publicitárias também serão focados. A intenção, segundo Murilo Bueno, é aprimorar o arcabouço teórico e criativo acerca da imagem, para tornar mais compreensíveis os processos de gestão da fotografia publicitária, desde sua concepção (briefing) até a veiculação.

Professor Universitário Murilo Berardo Bueno

O publicitário Murilo Bueno tem ênfase voltada para Publicidade e Propaganda, Cinema, videogame, Fotografia Publicitária e Fotojornalismo. É doutorando em Performances Culturais pela Escola de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás (UFG) e graduado em Publicidade e Propaganda pela Faculdade Cambury.

SERVIÇO

O que: Oficina de Fotografia Publicitária

Quem: Inscritos na X Semana da Comunicação da Faculdade Araguaia e I Semana da Consciência Negra

Quando: 23/11, das 18h30 às 22h

Onde: Faculdade Araguaia, Unidade Bueno

Informações:http://www.faculdadearaguaia.edu.br

Profissionais debatem sobre novas possibilidades de atuação no jornalismo e publicidade

Mesa-redonda integra a programação da X Semana de Comunicação da Faculdade Araguaia, nesta terça-feira, 21 de novembro

Texto: José Antônio Correa

Edição: Profa. Viviane Maia

A Faculdade Araguaia recebe na noite desta terça-feira (21), jornalistas e publicitários para um debate sobre as novas possibilidades de atuação no jornalismo e na publicidade, no auditório Bueno, a partir das 19h. O evento contará com a presença da jornalista e empreendedora digital Letícia Nobre, do publicitário e empreendedor Rodrigo Mendanha, da publicitária e empreendedora Camila Reis e do Clayton Nobre, mentor da Mídia Ninja uma das maiores mídias independentes do Brasil. A mediação ficará a cargo da professora Patrícia Drummond.

Publicitário e Empreendedor Rodrigo Mendanha

Jornalista e Empreendedora digital, Letícia Nobre

Publicitária e Empreendedora, Camila Reis

Mentor da mídia Ninja, Clayton Nobre

Esta atividade integra a segunda noite da X Semana de Comunicação da Faculdade Araguaia e I Seminário da Consciência Negra, evento organizado pelos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, cujo tema é Empreendedorismo e Inovação: Novos Modelos de Negócio na Comunicação. O evento segue até o a próxima sexta (24) com atividades e apresentações culturais, conferências, mesas-redondas, oficinas, apresentação de trabalhos práticos.

Jornalismo

Letícia Nobre é jornalista graduada pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Passou pelos veículos Portal Terra, Diário da Manhã e Correio Braziliense, onde conquistou os prêmios Esso e Embratel de Jornalismo. É empreendedora digital e mentora de marketing de conteúdo, ajudando outros empreendedores e autônomos a criarem presença digital para alavancar suas carreiras e negócios.

Ela acredita que “o jornalista que não tem uma atitude proativa, uma atitude empreendedora não terá espaço no mercado. As mídias de massa tradicionais já se renderam ao impacto e à importância da comunicação direta, sem intermediários, entre a fonte e o público. Por esse foi o principal motivo pelo qual o jornalismo tradicional – aquele que acontecia só nos jornais impressos e nos grandes canais de TV – tem os dias contados.”

Ela ainda comentou acerca do trabalho jornalístico na era digital. “Sob o campo do exercício do trabalho, passa da hora de jornalista achar que precisa ser empregado de alguém para ter espaço no mercado. Hoje, milhares de especialistas que produzem conteúdo, que têm o que compartilhar, estão aí, precisando de consultoria, mentoria, enfim… dos conhecimentos que para nós, jornalistas, fazemos ‘com os pés nas costas’”, disse.

Letícia acredita que “a maioria dos jornalistas tem uma grande quantidade de conteúdo e de habilidades que, bem usadas, bem embaladas, são um prato cheio para criar um mercado próprio e ser bem remunerado por isso”.

Publicidade

Já o publicitário Rodrigo Mendanha é especialista em mídia e planejamento, diretor de importantes agências do mercado regional e mestrando em comunicação pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Ele falou ao Araguaia Online sobre como é ser um publicitário na era digital.

“Um publicitário na era digital precisa ser multitask, entender de dados e do business da publicidade. Mas principalmente, saber executar com propriedade uma operação digital (a parte de execução). Os conceitos e teorias são até muito bem absorvidos pelos profissionais, mas é mais difícil encontrar um profissional vocacionado em colocar ‘mão na massa’, principalmente no que se refere às ferramentas de mídia programática. A mão de obra, no mercado goiano, ainda é carente nesse sentido.”

Segundo ele, mídia digital se caracteriza como investimento financeiro. “Antes do programático, quando a publicidade ainda era vendida sem o auxílio de algorítimos, a entrega do anúncio somente para consumidores realmente interessados por determinada marca, produto ou serviço na internet, ainda era bastante incipiente e ineficiente. Não é por acaso que Google e Facebook, por exemplo, estão cada vez mais capitalizados e com as ações muito em alta.”

SERVIÇO

Mesa-redonda: Novas possibilidades de atuação no jornalismo e na publicidade

Atividade cultural: Grupo de rap Ovelha Negra

Data: 21 de novembro

Horário: 18h30 às 22h

Local: Auditório Bueno da Faculdade Araguaia

1 2 3 11