O que é ser goiano? Parte II

Na disciplina de Produção Publicitária para TV e Cinema os alunos tiveram que responder a essa pergunta e produzir um vídeo que retratasse, de maneira inusitada, quem são os goianos. A proposta desse vídeo foi brincar com costumes e expressões típicas dos goianos.

Orientação: Profa. Joseane Ribeiro

O que é ser goiano?

Na disciplina de Produção Publicitária para TV e Cinema os alunos tiveram que responder a essa pergunta e produzir um vídeo que retratasse, de maneira inusitada, quem são os goianos. No vídeo acima os alunos decidiram apresentar uma receita típica de Goiás de uma maneira nem tão típica assim.

Orientação: Profa. Joseane Ribeiro

Teste

No primeiro semestre de 2017, a disciplina de Agência Experimental do curso de Publicidade e Propaganda, passou a funcionar em um novo formato. Nos anos anteriores, a turma era divida em pequenos grupos que funcionavam como agências distintas, atendendo somente a um cliente durante todo o semestre, num esquema de concorrência.

Continue lendo

A Settma – Agência Experimental de Publicidade e Propaganda, iniciou seus trabalhos com muito Planejamento e Criação!

No primeiro semestre de 2017, a disciplina de Agência Experimental do curso de Publicidade e Propaganda, passou a funcionar em um novo formato. Nos anos anteriores, a turma era divida em pequenos grupos que funcionavam como agências distintas, atendendo somente a um cliente durante todo o semestre, num esquema de concorrência.

Neste semestre de 2017/1, passamos a funcionar como uma equipe única, atendendo a variados clientes, simultaneamente, sejam eles internos (cursos de extensão, eventos institucionais etc.) ou externos. Para isto, criamos o nome SETTMA, derivado do termo “sétima”, já que a Agência funciona como uma disciplina do 7º período, além de considerarmos o teor simbólico que carrega o número 7, de totalidade, perfeição e consciência, valores que buscaremos imprimir em nossos trabalhos.

Um dos clientes que tivemos o prazer de atender e elaborar um planejamento de mídias sociais foi a Carrello di Gelato, uma sorveteria itinerante que serve gelatos italianos em eventos diversos. Nosso desafio era planejar a comunicação da empresa no semestre e entregar materiais dentro da identidade proposta. Abaixo, vocês podem apreciar um dos planejamentos que desenvolvemos no semestre e que prova a qualidade dos trabalhos que desenvolvemos na Settma.

Post Páscoa:

Planejamento campanha namorados:

 

 

Rivalidade, disputa – a emoção do jogo num clássico de futebol.

A equipe do Programa Na Gaveta  – Um programa esportivo produzido por estudantes de Jornalismo da Faculdade Araguaia se infiltrou no meio da galera no Estádio Serra Dourada para verificar de perto as emoções de um clássico de futebol. A reportagem de Douglas Neres e João Messias é um mergulho nas experiências sonoras de uma partida de futebol. O jogo foi entre Goiás e Atlético Goianiense. Ouça no link abaixo:

https://soundcloud.com/radiojornalismo-919344972/classico-no-futebol

 

Cursos de Comunicação da Faculdade Araguaia alcançam nota 4 em avaliação do MEC

Os cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda são os melhores entre as instituições privadas de Goiás

ANNE KAROLINE RIBEIRO, CAMILA PEDROSO E KAMILLA LEMES

Os cursos de Comunicação Social – Jornalismo e Publicidade e Propaganda – da Faculdade Araguaia (Fara) alcançaram nota 4 em avaliação do Ministério da Educação. As graduações ainda são destaques entre as instituições do Estado de Goiás, ficando nas primeiras posições na avaliação do Exame Nacional do Desempenho dos Estudantes (Enade).

O Ministério da Educação avalia anualmente os cursos superiores do Brasil, através do Enade. O exame é aplicado no início e no final de cada curso, e tem por objetivo analisar o aprendizado dos alunos quando entram e quando deixam a Instituição de Ensino. Além disso, a estrutura física das instituições, os recursos disponibilizados aos alunos e o número de professores mestres e doutores são quesitos avaliados pelo MEC. As notas variam de 1 a 5.

Para a diretora pedagógica da Fara, Rita de Cássia Del Bianco, a boa colocação no Enade exalta o trabalho feito pela direção, coordenação dos cursos, professores e alunos. “Assumimos aqui na faculdade a responsabilidade coletiva pelo desenvolvimento e desempenho positivo dos cursos. Não é um trabalho novo, pois ele vem sendo realizado desde 2004 com a implantação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior”, afirmou.

Rita Del Bianco destaca a importância da diretoria pedagógica para a instituição. (Foto: Anne Karoline Ribeiro).

O curso de Jornalismo está em segundo lugar no ranking que inclui as instituições privadas e públicas, atrás apenas da Universidade Federal de Goiás (UFG). Já a graduação de Publicidade e Propaganda está em primeiro lugar na classificação geral.

A professora de ambos os cursos da Fara, Joseane Ribeiro, destacou o desenvolvimento dos conteúdos extracurriculares. “Temos trabalhado intensivamente em questões que são exigências do MEC e, de certa maneira, são o diferencial da metodologia de ensino da Fara. Além disso, o preparo dos professores e suas qualificações são fatores que contribuem para as boas notas dos cursos, juntamente com o aprendizado dos alunos”, destacou.

Joseane Ribeiro exalta o trabalho desenvolvido pelos professores e alunos da Fara. (Foto: Anne Karoline Ribeiro).

Com a globalização e o maior nível de exigência do mercado de trabalho, as Instituições de Ensino Superior têm buscado melhorar a qualidade do ensino e, principalmente, se aproximar do aluno, com a finalidade de compreender quais são as suas expectativas a respeito dos cursos disponibilizados pela Faculdade.

Mesmo já atuando na área da Comunicação há 26 anos, o aluno Fred Silveira não dispensou cursar Jornalismo e acredita que estudar em uma faculdade que tenha uma boa colocação faz a diferença e é fundamental na busca de emprego. “Nós mesmos passamos a nos sentir mais seguros, engajados e disciplinados, com relação aos conteúdos que iremos adquirir. Ficamos mais respaldados também, quanto ao mercado de trabalho. Naturalmente, esses resultados pesam na categoria. Mas no modo geral é uma honra ser um pedacinho dessa conquista da Fara”, frisou.

Mesmo já atuando na área, o aluno Fred Silveira não abriu mão de conquistar o diploma em Jornalismo. (Foto: Anne Karoline Ribeiro).

Além de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, os cursos de Administração, Ciências Contábeis, Gestão Comercial e Pedagogia da Faculdade Araguaia também alcançaram nota 4 na avaliação do MEC.

Escolhas e desafios da profissão de jornalista

DOUGLACIEL DE JESUS

O último levantamento realizado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) revela que o número de jornalistas com registro profissional no Brasil dobrou, em relação aos 20 anos anteriores, e alcançou cerca de 145 mil registros até o ano 2011.

Segundo Evandro Andrade Teixeira, estudante do 7º período do curso de jornalismo da Faculdade Araguaia, formado em Filosofia e com especialização em Narrativas Audiovisuais, a motivação na troca de curso foi a possibilidade que a profissão proporciona. “O jornalismo é um grande campo de trabalho, vi algo com possibilidades de carreira”, explica. Assim como Evandro, vários estudantes procuram no jornalismo um emprego para fazer o que ama, se expressar através das palavras e narrações.

Antônio Carlos Pedrosa, do 6º período de jornalismo na Faculdade Araguaia, informa que optou pelo curso por conta do sonho de ser radialista. “Tinha perspectiva sobre jornalismo, mas na minha cidade, no interior da Bahia, não tem o curso, ai vim parar em Goiânia. A profissão e seus desafios foram além do que eu imaginava. Jornalismo não é somente informação ou um veículo midiático. É cidadania, participação da comunidade”, diz.

Antônio Carlos Pedrosa, estudante de jornalismo. Foto: Douglaciel de Jesus.

Para o estudante, Marcos Antônio de Souza, aluno 1º período de jornalismo da Faculdade Araguaia, jornalismo é um sonho se realizando. “Vejo-me como repórter de TV, não sei a emissora ainda, mas vou estudar empenhado nesse objetivo”, relata.

O jornalismo mudou com o passar dos anos, hoje os novos e antigos profissionais precisam acompanhar essa realidade. Os meios tradicionais como impresso e TV ainda possuem seu espaço, mas a produção digital e as mídias sociais se consolidam como meio importante de comunicação. Daí o interesse de muitos jovens por essa área.

Ana Flavia Santos, 25 anos, se formou em 2014 e conta que sua paixão por redes sociais a motivou a escolher o jornalismo. “Sempre amei escrever nas redes sociais, e nunca pensei em ser advogada, arquiteta ou coisa do tipo, só gostava de escrever e me interagir, então escolhi o jornalismo como profissão. Hoje tenho um blog com mais de 5 mil seguidores e amo o que faço”, conclui.

Um campo aberto para várias áreas seja na TV, no rádio, impresso ou agora na área digital, o que percebemos que a pessoa que escolhe jornalismo como opção de futuro escolhe por que amam e buscam sua realização profissional.