Empresas de telefonia lideram ranking de reclamações em 2019 no Procon em Goiás

Repor: Beatriz Borges, Patrícia Bastos, Márcio Junior, Itana Amaral.


fonte: Procon Goiás de janeiro até outubro de 2019

O Procon divulgou o ranking das empresas que tiveram o maior número de reclamações junto ao órgão durante os meses de janeiro até outubro deste ano. As empresas de telefonia estão no topo do ranking das queixas: Oi, Claro e Telefonia Brasil estão nos três primeiros lugares. 

O estudante de Publicidade e Propaganda Pedro Machado passou por isso a 3 meses. Ao perceber que em sua fatura havia uma cobrança indevida, o estudante tentou entrar em contato com a empresa, mais reclama do descaso no atendimento: “entrei em contato, tentei, reclamei, não tive nenhuma resposta”. Ao ser questionado se chegou a fazer alguma reclamação no Procon o estudante alega que não teve vontade de entrar em contato com o órgão, já que é um processo muito burocrático. 

Outro consumidor insatisfeito é o motorista Reginaldo Borges de 48 anos, também pelo menos motivo: cobrança indevida.  Reginaldo tentou entrar em contato com a empresa 5 vezes, sem nenhuma solução para o seu caso, decidiu ligar para o Procon “cheguei a reclamar mais não levei o processo adiante”. Após 1 mês e bastante desgaste por parte do mesmo, ele conseguiu reverter o quadro apenas entrando em negociação com a empresa.

O que já não foi o caso do aposentado Hélio Gomes, que entrou com um processo contra a sua empresa de telefonia também por cobrança indevida. O aposentado após meses de negociação, entrou com um processo contra a operadora e ganhou “consegui finalmente o respeito e a dignidade que todo cidadão deveria receber”. 

O que é o Procon? 

É uma fundação nacional. A principal função do Procon é garantir a mediação de casos conflituosos entre os clientes e consumidores insatisfeitos com os serviços ou produtos disponibilizados por determinada empresa ou estabelecimento. Caso o Procon não conseguir chegar em um acordo entre ás partes, o processo é encaminhado para o Juizado Especial Civil. Em Goiás o Procon atende em todas ás unidades do Vapt Vupt de segunda, ás sextas-feiras em horário comercial, 

Quando e como devo fazer uma reclamação?

fonte: Procon Goiás

A falta de vontade do consumidor para entrar em contato com o Procon, abre um questionamento de que esses números podem ser bem maiores. Por isso, o advogado Rodrigo Dutras de 27, detalhou o caminho que devemos seguir em alguns casos:

O primeiro passo é saber dos seus direitos, o advogado ressalta que a maioria das pessoas não tem conhecimento de quando está sendo lezado por uma empresa ou ciente dos canais que ele precisa recorrer, por isso é sempre importante verificar no código de defesa do consumidor. Rodrigo ainda ressalta que qualquer pessoa física ou jurídica pode abrir uma reclamação. 

Outro fator importante é que o Procon é um órgão completamente gratuito. Para fazer sua reclamação o consumidor deve formalizar o problema junto a empresa e se for alguma operadora anotar o número do protocolo da ligação “A operadora tem até 5 dias úteis para dar uma resposta” firmou. Caso o problema não seja solucionado o cliente pode reabrir uma nova demanda. “A maioria desses casos, ocorre por cobranças indevidas, cancelamento de serviços ou falha no atendimento”.

Que foi justamente o caso da cliente e empresária Milady Marques, que entrou em um juizado de pequenas causas contra uma das operadoras que é cliente a 8 anos. Milady pagou sua fatura e perdeu o comprovante de pagamento. Com o passar dos meses, teve o seu nome negativado. Mesmo assim, ela não quis procurar o órgão. Mas, recentemente a empresária mudou seu plano novamente fez o pagamento, e a operadora cortou o serviço já pago. “Entrei em contato com a operadora, e eles alegaram que a cobrança era por uma troca de plano, sendo que eu estava aderindo a um outro plano”. A empresa não informou no momento da compra a taxa e a aderência de outro número junto ao de Milady.

Redação Araguaia Online

Read Previous

Quais os salários mais altos dos prefeitos goianos?

Read Next

Serviços e indústria lideram o crescimento de empregos em Goiás