Cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda realizam campanha contra a pobreza menstrual

Redação: Raquel Moura

Edição: Ana Maria Morais

Acontece entre os dias 13 de outubro a 5 de novembro, a campanha de arrecadação de absorventes descartáveis e coletores menstruais, realizada pela Coordenação dos Cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da UniAraguaia. A campanha vem como uma proposta de resistência à decisão do presidente Jair Bolsonaro, que vetou trechos da nova lei que previa a oferta gratuita de absorventes femininos e outros cuidados básicos de saúde menstrual.

Acontece entre os dias 13 de outubro a 5 de novembro, a campanha de arrecadação de absorventes descartáveis e coletores menstruais, realizada pela Coordenação dos Cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da UniAraguaia. A campanha vem como uma proposta de resistência à decisão do presidente Jair Bolsonaro, que vetou trechos da nova lei que previa a oferta gratuita de absorventes femininos e outros cuidados básicos de saúde menstrual.

A decisão do presidente do Brasil impediu que o item seja distribuído sem custos a estudantes de baixa renda de escolas públicas e mulheres em situação de rua ou de vulnerabilidade extrema. Ao justificar o corte da distribuição gratuita, Bolsonaro argumentou que, embora seja “meritória a iniciativa do legislador”, a proposta não indicaria uma “fonte de custeio ou medida compensatória”. Outro veto de Bolsonaro inclui ainda o trecho que previa a inserção de absorventes nas cestas básicas distribuídas pelo Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.

Segundo a Mestra Marcia Pimenta, docente dos Cursos de Comunicação da instituição, a campanha é de extrema importância no cenário atual. “Semestralmente, a coordenação desses cursos promove campanhas assistenciais a alguma causa. Esta campanha, especificamente, vem preencher a lacuna do que deveria ser uma política pública de assistência às mulheres em situação de rua. A campanha é aberta à comunidade, mas vale ressaltar que os estudantes que doarem receberão certificados valendo horas complementares”, destaca Marcia.

O esquema de distribuição de horas complementares irá funcionar da seguinte forma: a cada 8 unidades de absorventes descartáveis (1 pacote básico) valerá 1h extracurricular, e cada coletor menstrual doado, corresponde a 10h extracurriculares. Cursos que exigem 200h têm limite de 40h com doações, já os cursos que demandam 100h, têm o limite de 20h extracurriculares através das doações.

As doações podem ser feitas diretamente na Coordenação dos Cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da UniAraguaia, localizada na Avenida T – 10 , nº 1.047, no Setor Bueno, em Goiânia.

Ana Maria - UniAraguaia

Read Previous

Cursos de Agronomia e Engenharia Ambiental abrem grupo de estudos abordando física e matemática

Read Next

Cursos de Comunicação realizam XIII Cineclube Araguaia