Equidade de gênero é debatida no lançamento do Observatório dos Direitos das Mulheres

Atividade ocorreu de forma on-line com a participação de professores, alunos e representantes de instituições nacionais e internacionais

Texto: Maria Augusta do Planalto

O Centro Universitário Araguaia realizou, no dia 25 de setembro, o lançamento oficial do Observatório dos Direitos das Mulheres. A atividade ocorreu de forma on-line pelo canal da UniAraguaia no YouTube e contou com a participação de professores, alunos e representantes de instituições nacionais e internacionais.

A Diretora Pedagógica da UniAraguaia, professora Rita de Cássia Del Bianco, foi quem abriu a cerimônia de lançamento, representando o reitor da instituição, Arnaldo Cardoso Freire. Segundo ela, o Observatório dos Direitos das Mulheres foi o primeiro projeto desenvolvido pelo curso de Direito. “É interessante pensarmos que, no ano de 2017, quando nós implantamos o primeiro período do curso de Direito na nossa instituição, ele foi, justamente, idealizado com vários projetos.  Um dos projetos é o Observatório dos Direitos das Mulheres, que de fato agora se torna uma realidade a partir desse evento”, explicou.

De acordo com Rita de Cássia, o Observatório tem o dever social de discutir o significado das mulheres na sociedade contemporânea. Ela aproveitou o momento e citou exemplos de mulheres que lutaram pelo empoderamento e equidade de gênero no Brasil. “Entre tantos nomes importantes que marcaram a nossa história, eu quero destacar a Nísia Floresta, do Rio Grande do Norte. Ela, que nasceu em 1810, foi uma educadora, escritora, poetisa e uma das pioneiras do feminismo no Brasil”, homenageou.

Projeto

O Observatório dos Direitos das Mulheres é um núcleo de pesquisa e extensão vinculado ao curso de Direito da UniAraguaia. Segundo a coordenadora Adjunta do curso, Ivna Lauria, o objetivo do programa é promover o fortalecimento das mulheres na garantia da efetividade de seus direitos.

“O projeto nasceu com o objetivo de empoderar a mulher; de lutar contra estatísticas alarmantes e crescentes, principalmente no nosso estado de Goiás, mas em todo Brasil. Queremos analisar, sistematizar, observar, discutir e incentivar, principalmente, as pesquisas sociais em conjunto com órgãos governamentais e instituições nacionais e internacionais aqui presente”, afirmou Ivna Lauria no seu discurso.

Durante o evento, ela também apresentou o Regulamento do Observatório dos Direitos das Mulheres e agradeceu a presença das autoridades nacionais e internacionais. Participaram representantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Womens Center Harvard College, Lobby Europeu das Mulheres, African Women’s Research Observatory, Organização Internacional do Trabalho no Brasil, Associação Nacional das Universidades Particulares e Conselho Estadual da Mulher de Goiás.

Alunos

O lançamento do Observatório contou com a presença dos estudantes da Uniaraguaia. Pelo chat on-line, eles demonstraram interesse e entusiasmo com o projeto. Além dos acadêmicos do curso de Direito, também estavam presentes alunos dos cursos de Pedagogia, Jornalismo e Publicidade e Propaganda.

“Parabéns a todos pela iniciativa em discutimos esse tema sobre os direitos da mulher que por inúmeras vezes é violado. Vamos sempre lutar pelos nossos direitos”, disse a aluna Hully Maia pelo chat durante o evento.

Ana Maria - UniAraguaia

Read Previous

Por que as pessoas gostam tanto do fofo?

Read Next

O jogo do século