UniAraguaia faz campanha contra a pobreza menstrual e entrega as doações para a Pastoral de Rua da Paróquia Santa Edwiges

Redação: Guilherme Alvarince

Edição: Ana Maria Morais

No dia 10 de dezembro, a UniAraguaia, por meio da coordenação dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, entregou para a Pastoral de Rua da Paróquia Santa Edwiges as doações arrecadadas por meio da Campanha Contra a Pobreza Menstrual.

Ao total, foram doados 1020 pacotes de 8 unidades (totalizando 8160 unidades), 300 unidades de protetores, 6 coletores reutilizáveis e 8 coletores descartáveis, que, segundo o Padre Idelfonso Braz dos Santos, pároco da igreja Santa Edwiges, serão de grande ajuda para diversas mulheres em situação de vulnerabilidade e em situação de rua.

A campanha de arrecadação de absorventes foi organizada pela coordenação dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda e logo envolveu os demais cursos da UniAraguaia. A coordenadora dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, Viviane Maia, explica que a campanha foi idealizada numa reunião de colegiado logo depois do atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, vetar o projeto de lei que garantia a distribuição gratuita de absorventes para mulheres em situação de fragilidade financeira e que não têm condições para arcar com absorventes. Segundo uma pesquisa realizada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), são 4 milhões de meninas, sendo que 713 mil dessas pessoas também não possuem acesso a um banheiro com chuveiro em casa.

Viviane Maia afirma que a decisão é mais umas das ações machistas e misóginas do presidente e que também tem planos para discutir junto ao corpo docente a continuidade da campanha, caso a proposta de distribuição anunciada pelo Governador Ronaldo Caiado em Goiás não seja executada. A proposta de distribuição feita pelo Governador do Estado de Goiás foi anunciada na tarde do dia 8 de outubro de 2021, após o Diário Oficial da União confirmar o veto do Presidente da República, no dia 7 de outubro de 2021, do projeto de lei que garantia a distribuição em nível nacional.

Ana Maria - UniAraguaia

Read Previous

O diferencial da cerveja artesanal

Read Next

A realidade do presídio feminino em Goiânia sob a ótica de sua diretora, Daniela Cruvinel