inTRANSigência

“Era só um trabalho acadêmico de Telejornalismo II da professora Juliana Junqueira, mas gostamos tanto das entrevistadas, que decidimos compartilhar esses depoimentos maravilhosos com vocês. 

Agora esperamos que esta seja a versão curta-metragem do documentário inTRANSigência. Queremos fazer uma versão longa metragem, com iluminação decente e controle de audio.
Aborda as várias formas de violência sofridas por transexuais e travestis. Da forma de tratamento ao preconceito familiar e no ambiente de trabalho, o cotidiano de quem decide mudar sua identidade ou aparência para outro gênero.
Intransigente: aquele que não transige, que não faz concessão; inflexível, intolerante.

No país que mais mata transexuais e travestis no mundo, a intransigência está impregnada nas pessoas. Mas há aqueles transigentes, que quebram os tabus e ultrapassam as barreiras do preconceito escancarado e endêmico de uma sociedade conservadora, e que aos poucos, começa a olhar com outros olhos para a diversidade.

inTRANSigente conta histórias de Luanas, Divas e Saras. Pessoas que transigiram, e com o coração cheio de luta, se tornaram “puta mulheres“.

São essas as palavras de Antônio Carlos, Domingos Ketelbey, Fabiana Souza, José Otávio Jungles e Paulo Fernando Rodrigues, alunos de Telejornalismo II, responsáveis pela produção do documentário. 

Araguaia Esportes

Sim, aqui falamos de tudo: Cultura, comunicação, culinária, história, comportamento e claro, esportes! Então dá uma olhada na matéria que os repórteres de Telejornalismo II produziram sobre o tema. Na reportagem, eles exploram temas como a rivalidade entre Goiás e Vila Nova e também falam o futebol americano que é praticado aqui no Estado.

 

O racismo é real e ainda existe

É 2015 e o racismo ainda existe. Na verdade, sua existência ainda está tão firme e forte, infelizmente, que muitas vezes nem nos damos conta da situação. Muito além de insulto público, por exemplo, pessoas negras enfrentam o preconceito em praticamente todos os momentos da vida: da hora de arrumar um emprego à compra de um carro.
Em um vídeo que funciona como um merecido tapa na cara de cada branco, o pessoal da Brave New Films usou estudos para mostrar o quanto de racismo ainda está enraizado em nossa sociedade e em como é preciso levantar bandeiras e se posicionar em relação ao tema a fim de suscitarmos mudanças relevantes.
Assista ao vídeo (ative as legendas em português, caso tenha dificuldade em enteder) e reflita:

Faculdade Araguaia promove Jornada Científica

A VII edição da Jornada Cientifica esta sendo oferecida somente para os cursos na área se comunicação social (jornalismo e publicidade e propaganda).

MARIANA BARROS, NAYARA LEMES E SILEIMÃ PINHEIRO

Alunos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda durante a oficina de vídeo para Youtube. Foto: Anne Ribeiro.

A VII Jornada Cientifica para os cursos de comunicação social, na Faculdade Araguaia no setor Bueno, foi realizada entre 8 e 12 de maio e contou com a participação de alunos e convidados. Os dois primeiros dias foram para a apresentação de trabalhos acadêmicos nos GT’s (Grupos de Trabalho). Com os temas relacionados à Sociedade Líquida, os estudantes tiveram como base para as apresentações os autores Zygmunt Bauman, George Orwell e Guy Debord.

Foram oferecidas 12 oficinas de 4h e 8 horas, com temas diversos mais dentro do eixo temático que é modernidade liquida. Neste ano 271 alunos se matricularam para as oficinas. Ao final da semana os alunos que participaram das oficinas receberam certificado de horas extracurriculares. No dia 12 foi o encerramento da Jornada com o cine clube com o clássico The Wall (1982) com a direção de Alan Parker e Gerald Scarfe.

A aluna Bruna Morais, do 6º período de Jornalismo, elogiou a semana de Jornada Cientifica da faculdade Araguaia. “Eu participei da oficina A Política no Picadeiro: Um Espetáculo Midiático. Achei a jornada maravilhosa, nunca vi tanta coisa boa em um só lugar, o povo motivado, achei que foi muito rico”, disse. Bruna ainda contou como foi o desenvolvimento do trabalho resumo expandido que elaborou para a apresentação.“Fui orientada pela professora Marina Muniz pra fazer o resumo expandido, gostei muito, é uma experiência que vou levar pra vida toda. A faculdade Araguaia, todos os anos, promove essa Semana Cientifica e é muito bom para os alunos poderem aperfeiçoar a sua escrita e também para mostrar o seu trabalho”.

A coordenadora dos cursos de Comunicação e também da VIII Jornada Cientifica, Viviane Maia, em entrevista, falou sobre a importância desse evento. “Esse evento que promovemos todos os anos é de uma importância muito grande, acho que é dever de toda faculdade incentivar e ensinar sobre pesquisa acadêmica, os alunos sempre me surpreende com seus trabalhos muito bem produzidos”.

Programa Brasil do Avesso #2 – Adoção de Animais

Ofurô para relaxar, coleiras de cristal para ostentar, salão de festas para comemorar, motel para acasalar… não há o que não exista para agradar um bichinho de estimação.
A franca expansão do setor (que confere ao Brasil o título de segunda economia pet do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos) é fruto de uma mudança da relação entre pessoas e animais domésticos — os últimos, cada vez mais humanizados.
E o resultado é uma oferta de produtos e serviços tão especializados que chegam a suscitar a pergunta: tudo é mesmo necessário ou há exageros?
O Programa Brasil do Avesso debateu essa tema tão polêmico, ouça:

Rádio Faculdade Araguaia: Programa Brasil do Avesso #1

Quase um mês depois dos protestos de 15 de março, brasileiros voltaram às ruas neste domingo (12) para participar de manifestações em todo o país. A população pediu principalmente o fim da corrupção e a saída da presidente Dilma Rousseff. Os protestos foram organizados por grupos diferentes e as convocações foram feitas principalmente pelas redes sociais.
O Programa Brasil que é uma produção dos alunos do sétimo período de jornalismo da Faculdade Araguaia, abordou esse tema.

As leis do trabalho e a terceirização estiveram no centro do debate do Bate-Papo Ponto Com da segunda-feira (4), excepcionalmente apresentado pelo Marco Aurélio Carvalho. Para a professora de direito do trabalho da Unigranrio, Cecilia Alves, a terceirização pode significar um retrocesso para os trabalhadores.
“Infelizmente, estamos enfrentando um caminho para precarização. Estamos retornando ao que vivemos antes das conquistas que tivemos com a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), e estamos observando que em face dessa instabilidade política, os trabalhadores é que estão pagando a conta”, disse Cecilia Alves.
A professora também ressalta que apesar do cenário atual não ser favorável, o governo foi o responsável por grande parte dos avanços na área trabalhista. “Nós tivemos a lei para o motorista, a regularização do seguro-desemprego, mesmo que tenha sofrido um aperto recente, mas foram grandes avanços e a terceirização neste momento vem para derrubar tudo o que foi conquistado”, ressaltou Cecilia,
Clique no player acima e confira a íntegra do programa que também contou com a participação do mestre em Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Igor Alves, e do estudante de Direito da Unigranrio, Pedro Pontes.

Video conta como um vendedor de móveis criou a maior rede de propaganda do mundo

O mundo está cheio de histórias de pessoas empreendedoras que usaram seu tino comercial para ir além. Marcel Bleustein-Blanchet faz parte desse grupo. Mesmo tendo deixado a escola aos 12 anos para ajudar seu pai a vender móveis, ele foi capaz de criar uma das maiores redes de propaganda do mundo.
Quando tinha 19 anos, ele percebeu que era capaz de vender muito mais do que mesas e cadeiras e, assim, criou a primeira agência de publicidade da França, em 1926. Assim surgia a Publicis, empresa criada a partir da ideia de que o consumidor buscava entretenimento e não apenas anúncios que não acrescentassem nada às suas vidas.
E, para contar essa história de inovação, a agência precisou apostar fundo na criatividade, com um vídeo que mostra não apenas a trajetória do fundador da agência, mas também conta a história da publicidade no século XXI. Vem ver:
Todas as imagens: Reprodução YouTube
via Hypeness.

Experimento mostra porque não devemos julgar as pessoas pela aparência

Várias pessoas foram convidadas para uma experiência promovida pela Coca-Cola que todos nós deveríamos nos permitir: lançar um segundo olhar para as pessoas que julgamos apenas pela aparência.
Esses convidados observaram algumas fotos de pessoas a fim de responder o que acharam delas. Pelo que foi dito, parece que nós continuamos fiéis aos estereótipos concebidos por uma sociedade incapaz de enxergar, ou querer enxergar, além dos rótulos.
Um homem de barca comprida e jaqueta de couro, por exemplo, recebeu a seguinte avaliação: “Eu duvido que ele trabalhe. E se trabalha mesmo, deve ser em uma banda de rock ou punk”. Já uma senhora de óculos e cardigã “não é muito forte e não deve ser muito ativa. Ela gosta de tricotar e costurar”.
Depois de alguns segundos em que o preconceito já foi formado, os participantes se depararam as pessoas que eles acabaram de “construir” e se surpreenderam. Não deixe de assistir:

Quando escolher cursar Publicidade e Propaganda?

Dizem que a Publicidade e Propaganda é a vilã do mundo atual, mas calma lá, não é bem assim. Uma campanha de doação de sangue, doação de órgãos, doação de alimentos ou de agasalhos, é ruim? Não, como toda profissão, a Publicidade tem seus bons e seus maus profissionais, a questão é de que lado você vai ficar. Um curso com várias possibilidades não pode ser limitado a apenas vender produtos que vão arruinar a vida das pessoas, na verdade nenhum produto é capaz disso, quem faz isso são as pessoas. Mas vamos ao tema de hoje!

Publicidade e Propaganda

 

“Então eu acabei o ensino médio e agora preciso fazer faculdade, eu não quero, mas sou obrigado por que meus pais querem, vou fazer Publicidade e Propaganda, afinal, é só festa, moleza!”, se você for por esse tipo de pensamento vai desistir no primeiro semestre. A profissão exige muito esforço e não é pra qualquer um que prefere uma jornada normal de serviço, algumas agências, por exemplo, permite que você escolha seu horário desde que cumpra uma meta de horas por dia, você também pode ser freelancer que é o que faço atualmente e simplesmente você esquece de ter hora pra sair, passa fácil as 8 horas diárias de trabalho, no meu caso eu sou mais puxado para parte de criação/redação, prefiro essa área, no entanto, muitas pessoas não se dão muito com softwares de criação ou se julgam não serem bons para desenvolver ideias, eu não acredito nisso, pois, criatividade todos temos uma própria e cada uma delas podem ser usadas em alguma área de publicidade.
Publicidade não é só criação temos na área o atendimento, que serve de elo entre a agência e o cliente, basicamente é a cara da agência. O marketing, essa sim é a grande responsável pela venda do produto, estabelece estratégias de preço, de distribuição e venda, da campanha até da aproximação com o consumidor. Mídia que basicamente vai escolher os veículos de comunicação mais adequados para difundir uma campanha, além de negociar a compra de espaço para anúncios em outdoors, TVs e outras mídias. E por fim a Criação/Produção que é a parte visual e sonora de uma campanha publicitária nela você tem a possibilidade e fazer jingles, comerciais e anúncios em rádios, TVs, jornais, revistas, outdoors e websites, é a área que exige uma técnica específica.
Tem outras áreas, você pode escolher o curso por alguma dessas áreas que tem interesse mas é de fundamental importância que saiba um pouco de todas as áreas, não é uma profissão fácil, mas o sentimento de ver um trabalho seu rodando por aí e sendo elogiado por pessoas de dentro e fora da área, paga qualquer noite mal dormida ou estresse passado. Se você não tem medo de desafios essa é a profissão que você sempre vai ter um diferente.
com informações do Plugcitários 

1 8 9 10 11 12 13