Da geração de 81 para geração 2019! Flamengo vence drama e conquista taça Conmebol Libertadores para nação Rubro-Negra

Gabigol toca na taça antes de entrar em campo, dribla superstição Argentina marca dois gols e saí de campo expulso, porém, campeão da Libertadores 

O jogo, um show à parte! A ansiedade e o drama o espetáculo apresentado a nação Rubro-Negra, que teve como inspiração uma virada épica, para no final soltar o grito de campeão da América. Sendo assim, Flamengo e River Plate se enfrentaram na final da Copa Libertadores da América 2019. O embate aconteceu pela primeira vez em jogo único, em Lima, no Peru, neste sábado (23), no Estádio Monumental. 

A nova geração fez história. Foram 38 anos de espera, para enfim também poder contar que como Zico, em 81, Gabi Gol, em 2019 fez, marcando dois gols e entrando para o hall da história ao conquistar a taça Conmebol Libertadores.

Sorte? Não. Com muita coragem, Gabigol toca a taça e jornal Olé lembra superstição “de azar” para quem chega perto da taça antes da decisão, porém, o time Rubro-Negro, quebra outro tabu, com dois gols no final da partida o craque decretou a virada épica, presenteando a torcida com dois gols  e o título que entra para história do futebol brasileiro.  

 O primeiro tempo o Flamengo começou no ataque, porém sem sucesso. O River com uma marcação forte, aos poucos demonstrou porque tem quatro títulos da taça Libertadores da América. O time Argentino armou seus contra-ataques, percebendo os espaços deixados pela defesa do Flamengo respondeu com uma mudança de postura para chegar ao primeiro gol aos 15 minutos da etapa inicial.

Após uma sucessão de erros de Felipe Luís e Arão e Gerson que não se entenderam na grande área e serviram o atacante Borré, que pegou de primeira e balançou a rede do goleiro Diego Alves. Momento que o Brasil ficou em silêncio. A nação começou a se questionar, “será mesmo invencível?” o Rubro-Negro sentiu o forte golpe, perdendo o total controle do jogo, a equipe Argentina colocou o time na roda, que finalizou apenas uma vez no primeiro tempo. Durante os 45 minutos o invencível teve mais próximo de sofrer o segundo gol do que empatar a partida.

“A torcida do River já sentia o peso da taça nas mãos, já soltava o grito de é pentacampeão, mas com absoluta justiça, comemorar antes do jogo pode acabar em uma poderosa formula de tragédia.

Palavras do jornal ‘Olé’, Se mira y no se toca” (veja: mas não toque). O jargão é um misticismo que conta a história de troféus nos países sul-americanos. O que não impressionou Gabigol na entrada em campo para a final entre Flamengo e River Plate. O craque “não teve medo de tocar na taça”, foi o único dos 11 jogadores do mister time a encostar na taça da Libertadores à beira do campo.

O jornal “Olé”, maior diário esportivo da Argentina destacou, a superstição em suas redes sociais: “Gabigol tocou na Copa”.

O River Plate empurrava para o abismo o sonho da nação Rubro-Negra de conquistar a tão sonhada Libertadores da América.

Jorge Jesus, no vestiário perguntou a seus jogadores. “O que vocês vieram fazer aqui”? Quais são seus sonhos? Vocês querem o título?

Depois da palestra motivacional do mister, o Flamengo voltou à campo e logo criou sua primeira chance de gol, aos 12 minutos, com Bruno Henrique invadindo a área pelo lado esquerdo da linha de fundo, dando uma boa assistência para o meio da grande área, mas Arrascaeta não aproveitou, a bola sobrou nos pés de Gabigol que acabou bloqueado, a bola insistia em entrar, sobrou para Everton Ribeiro que chutou nas mãos do goleiro Armani.

Em seguida Jorge Jesus perdeu Gerson, que se machucou em uma entrada forte e deu lugar para Diego, que entrou bem. Aos 30 minutos o Flamengo teve outra chance clara de gol, em uma triangulação de Arrascaeta, Gabigol e Everton Ribeiro. O River com sua superioridade em campo não recuou quase marcou seu segundo gol com Palácios, aos 38 do segundo tempo. E quando a festa já parecia ser Argentina, entra em cena, Gabigol, para fazer um gol aos 43 e outro aos 46, virando o jogo para levar o título para o Brasil. O goleador ainda foi expulso por ter gesticulado um movimento obsceno para torcida do River e Palácios pelo segundo cartão amarelo também saiu de campo.

Mas um time que tem em cena Gabigol e Bruno Henrique, o time adversário acabou deixando suas barbas de molho em água fria, aos 43 e 46 minutos do segundo tempo, o craque dono da camisa 9, fez o sonho do penta ruir de forma histórica.

O fracasso no final que tirou o título da Taça Libertadores, foi reconhecido pelo site do jornal “Olé” como “a pior final” para o time argentino. A publicação destacou que o time do River Plate já jogava “saboreando” a quinta conquista, quando foi atropelado pelos dois gols de Gabigol, aos 43 e 46 minutos do segundo tempo.

O jornal “Olé” publicou, “o atacante Lucas Pratto, que entrou aos 28 minutos do segundo tempo no lugar de Borré, foi o destaque negativo, ao perder a bola para Arrascaeta no ataque, dando origem à jogada do primeiro gol rubro-negro, que venceu a decisão por 2 a 1”.

Gabigol acabou a Libertadores sendo o artilheiro e o melhor jogador em campo para a Conmebol. Mas a entidade sul-americana elegeu Bruno Henrique como o craque da América do Sul. O camisa 27, fez cinco gols no torneio em 2019, o jogador não foi convincente durante o jogo, mas como o centro avante fez a diferença no final da partida em uma brilhante assistência aos 43 do segundo tempo serviu o artilheiro para empatar o jogo dando início a virada histórica no estádio Monumental.

Na comemoração Jorge Jesus foi questionado. Vai comemorar agora o título da libertadores? Não precisamos voltar correndo para o Brasil, para focar no Brasileirão e ser o único time brasileiro a conquistar os dois troféus dentro do mesmo ano. O time Rubro-Negro pode se consagrar campeão se o Palmeiras empatar ou perder para o Grêmio jogo que segue pela 34 rodada do Brasileirão. 

Atenção, muita atenção! A audiência da final da Libertadores superou a de Copas do Mundo. Foi lindo.

Araguaia Online - Equipe

Read Previous

Qual será o próximo recorde? Quem pode segurar esse time recordes? Apenas Gabi Gol, Bruno Henrique são capazes de dizer! Aqui é outro nível!

Read Next

Insegurança no trabalho