AI-5 – 50 ANOS: Política, processo eleitoral e ditadura militar pautam discussões na Faculdade Araguaia

Os cursos de Jornalismo e Publicidade realizam eventos para relembrar os anos de chumbo e discutir eleições em tempos de mídias digitais

Texto e edição: Profa. Viviane Maia

 

Este ano promete ser bem movimentado no que diz respeito à política. No dia 7 outubro, os brasileiros vão às urnas para escolher seus representantes em níveis nacional e estadual. Foi dada a largada à corrida pela preferência e, consequentemente, voto dos eleitores. Já em 13 de dezembro o Ato Institucional nº 5 – que foi chamado de golpe dentro do golpe – completa 50 anos. Um fato tão relevante não poderia passar em branco.

Diante deste cenário, professores, alunos e convidados dos cursos de Jornalismo e Publicidade da Faculdade Araguaia (FARA) discutirão ao longo do semestre o tema política e seus desdobramentos tomando como gancho as eleições e a importância das mídias, especialmente as digitais, neste processo; e a ditadura militar no Brasil e suas consequências.

Para iniciar os debates, na próxima segunda-feira, 27, será realizada a aula magna do semestre 2018/2. Com o tema Eleições e Política na Rede, será proferida pelo pesquisador Marcos Marinho. Publicitário formado pela FARA, é especialista em Marketing Político e Eleitoral, mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Goiás e atualmente doutorando em Comunicação pelo Instituto Universitário de Lisboa.

Pesquisador Marcos Marinho.

Na quarta-feira 29, será realizada a primeira sessão do Projeto de Extensão Cineclube Araguaia, com a exibição do documentário O dia que que durou 21 anos. Após o filme, ocorrerá uma mesa-redonda com a participação do sociólogo, escritor e jornalista Renato Dias; coordenador do curso de Jornalismo da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), Antônio Carlos Cunha; e a jornalista Glória Drummond. A mediação ficará a cargo da professora Viviane Maia, coordenadora dos cursos de Comunicação da FARA.

O sociólogo, escritor e jornalista Renato Dias

Coordenador do curso de Jornalismo da PUC-GO), Antônio Carlos Cunha

A jornalista Glória Drummond

Os dois eventos serão realizados no auditório da unidade Bueno da FARA, das 19h às 22h, abertos à comunidade em geral e entrada franca. Na segunda-feira, antes da aula magna, às 18h30, será realizado o lançamento da revista #Comunica!, produzida pelo alunos de Jornalismo sob a batuta professores Eduardo Ávila, Patrícia Drummond e Viviane Maia. Na quarta 29, será a vez do lançamento do livro Gestão da Comunicação Hospitalar, do José Antônio Cirino, pesquisador e professor da FARA.

 

Obra revela bastidores do AI-5

O documentário O dia que durou 21 anos (Brasil, 2011) foi o escolhido para a primeira sessão do Projeto de Extensão Cineclube Araguaia. A obra é uma produção da TV Brasil com a Pequi Filmes, com direção de Camilo Tavares, filho de uma das vítimas da ditadura. O material apresenta os bastidores da participação do governo dos Estados Unidos no golpe militar de 1964.

Documentos inéditos e oficiais, amparados em depoimentos de acadêmicos norte-americanos e brasileiros, revelam como, sob o pretexto do avanço comunista em Cuba, os Estados Unidos vieram ao Brasil e compraram, literalmente, políticos, governos estaduais e, acima de tudo, meios de comunicação, que enriqueceram graças à intervenção americana. O filme é dividido em três partes e tem duração de 57 minutos.

 

Promovido pela coordenação dos cursos de Comunicação da FARA, o Cineclube Araguaia é uma atividade de extensão que busca levantar discussões acerca de temas atuais, por meio da exibição de obras audiovisuais. Abertas à comunidade em geral, as sessões contam sempre com a participação de convidados, que participam de um bate-papo com a plateia. Criada em 2014, a iniciativa chega a sua nona edição neste semestre.

 

Revista #Comunica apresenta formato inédito

Henry Jenkins lembra que vivemos um momento de transição midiática. Na atualidade as mídias estão se reinventando para ocuparem as plataformas digitais. Dentro deste contexto, o jornalismo impresso também vem se adequando para ser consumido em novos dispositivos midiáticos, como smartphones, tablets e afins. Por isso, é imprescindível compreender que o impresso é uma forma de se fazer jornalismo. Não se resume ao texto publicado em folhas, mas sim a uma discussão mais aprofundada e interpretativa sobre os fatos. Não importa se vai ser lido no papel ou no celular.

É com este pensamento que foi criada a revista #Comunica!, fruto da parceria entre disciplinas dos cursos de Jornalismo e Publicidade da FARA, que cuidaram respectivamente das partes editorial e comercial da publicação. O objetivo é ofertar um produto diferente do formato das revistas tradicionais e com uma proposta de leitura que vai ao encontro da contemporaneidade e da cultura digital: a não linearidade. Por isso, as páginas são soltas e o leitor não precisa seguir uma única ordem de leitura.

Segundo os idealizadores do projeto – professores Eduardo Ávila (editor de Arte), Patrícia Drummond (editora de Executiva) e Viviane Maia (editora Geral), este novo arranjo serve também para demonstrar que não existe uma hierarquização editorial, destacando o que vem no início, meio ou fim da publicação. Ou seja, todos os conteúdos têm o mesmo grau de importância.

Esta primeira edição contou ainda com a participação da professora Márcia Pimenta, que coordenou a produção do conteúdo comercial da publicação – anúncios produzidos pelos alunos que compõem a Settma – Agência Experimental da FARA; e do diagramador Fábio Salazar. Os textos são assinados por alunos de Jornalismo. Além da versão impressão, a publicação conta também com versão digital.

 

Livro discute gestão da comunicação hospitalar

Assinado por José Antônio Cirino e lançado no mês passado, durante a 12ª Convenção Brasileira de Hospitais, em Goiânia, o livro Gestão da Comunicação Hospitalar tem cunho didático e reflexivo e apresenta orientações específicas para o desenvolvimento de ferramentas internas e externas de relacionamento com os públicos da unidade de saúde, elucidando as principais diferenças e desafios dessa estruturação.

De acordo com o presidente da Federação Brasileira de Hospitais, Luiz Aramicy Bezerra Pinto, a publicação veio preencher a lacuna existente na aplicação prática das ações de comunicação com um enfoque de gestão estratégica no âmbito hospitalar. O autor destaca que “nos processos assistenciais, ao interagir com os pacientes e familiares, nas ações de transparência, com os investidores, ou mesmo na relação com a sociedade, as unidades de saúde lançam mão da comunicação, por isso é fundamental abordar suas especificidades e desafios na área hospitalar”.

José Antônio Cirino é comunicólogo, professor da FARA, consultor e pesquisador que atua desde 2009 na área hospitalar. Organizador dos livros Mídias e Desigualdade e Comunicação e Mídia: interfaces com a cidadania e com a cultura, é também doutorando em Comunicação e Sociabilidade pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Goiás e especialista em Gestão de Projetos e em Gestão de Marketing.

O comunicólogo e professor da FARA, José Antônio Cirino

 

SERVIÇO

27/8 (segunda)

18h30 – Lançamento da Revista #Comunica

Participação: editores da revista (professores Eduardo Ávila, Patrícia Drummond e Viviane Maia), diagramador Fábio Salazar

19h – Aula Magna

Tema: Eleições e Política na Rede

Com: Professor, pesquisador e consultor Marcos Marinho

Mediação: Profa. Juliana Junqueira

Local: Auditório da unidade Bueno da FARA (Av. T-10 nº 1.047)

Entrada franca

 

29/8 (quarta)

18h30 – Lançamento do livro Gestão da Comunicação Hospitalar

Com: José Antônio Cirino, autor da obra

19h – Projeto de Extensão Cineclube Araguaia

Filme:  O dia que que durou 21 anos

Debatedores: Antônio Carlos Cunha, Glória Drummond e Renato Dias

Mediação: Profa. Viviane Maia

Local: Auditório da unidade Bueno da FARA (Av. T-10 nº 1.047)

Entrada franca