FACULDADE ARAGUAIA INVESTE EM EXPANSÃO NO EXTERIOR

Texto: Naddiny Barros e Raquel Fernandes

Edição: Profa. Viviane Maia

 

A sociedade contemporânea vive em constante avanço e é necessário que a educação também acompanhe este progresso. A globalização e os constantes desenvolvimentos tecnológicos mudam as formas de pensar e requerem variadas práticas pedagógicas. Cabe às instituições de ensino promover uma educação de qualidade e capacitar seus alunos para utilizar, com habilidade e competência, as tecnologias disponíveis. Desta forma, a Educação à Distância (EaD) figura como uma modalidade educacional que possibilita visões diversas do mundo, e variadas formas de ensinar e aprender.

Visando os aspectos positivos da educação à distância – tais como a democratização de oportunidades educacionais e a prática do conhecimento individual e coletivo, favorecido pelos ambientes digitais e interativos de aprendizagem, a Faculdade Araguaia investe nesta modalidade, agora além das fronteiras brasileiras.

A iniciativa faz parte do projeto de expansão Educação sem Barreiras, que prevê a abertura de novos pólos EAD em território nacional e internacional. Os Estados Unidos, juntamente com a Bélgica e Portugal, são países a serem alcançados pelo EAD da instituição.

Neste semestre, o diretor Geral da Faculdade Araguaia, professor Arnaldo Cardoso Freire, esteve nos estados da Flórida, Geórgia e Nova York para a inauguração dos pólos. Segundo o diretor, o público-alvo são brasileiros que moram nos Estados Unidos e que desejam fazer uma graduação ou uma pós-graduação.

No entanto, o projeto também inclui cursos para americanos e latinos em geral. Inicialmente, serão ministrados dois cursos superiores – Administração e Pedagogia – e mais 80 cursos de MBA.

Em entrevista ao Araguaia Online, Arnaldo Freire enaltece a expansão da Faculdade Araguaia para países estrangeiros, à medida que são trazidas tecnologias educacionais de outros países para o Brasil. Além disto, a instituição pretende implantar cursos de inglês para os alunos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Administração, com o intuito de prepará-los para um possível futuro educacional nos Estados Unidos.

O diretor esclarece ainda que a faculdade não procura grande demanda de matrícula, pois preza por qualidade, e não quantidade. O processo de expansão é difícil e gradativo, por isso, Arnaldo Freire cita o escritor Millôr Fernandes: “Eu nasci pequeno e fui crescendo aos poucos”.

Diretor da Faculdade Araguaia, Arnaldo Freire na inauguração de um dos polos nos EUA

Processo seletivo

Os alunos que moram no exterior e desejam ingressar em um dos cursos superiores ofertados, deverão passar por um processo seletivo (vestibular) que validará, ou não, sua entrada na Faculdade Araguaia, no pólo de apoio presencial de sua escolha.

Todos os pólos contam com tutores presenciais preparados para atender as demandas técnicas, no que tange a utilização e o manuseio do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), bem como parte das demandas pedagógicas. Após a aprovação, o aluno recebe um contato da Secretaria de Educação à Distância informando os documentos que deverão ser apresentados para a efetivação da matrícula.

Os cursos têm duração de quatro anos, cumprindo as exigências legais de formação de Bacharelado e Licenciatura. Os diplomas serão válidos apenas no Brasil, uma vez que a Faculdade Araguaia ainda está caminhando para possíveis validações internacionais.

Internacionalização

Coordenador do Núcleo de Tecnologia em Educação à Distância (Nutec), Leandro Vasconcelos explica que os dois cursos, espalhados em pontos estratégicos, irão possibilitar muitos brasileiros à retomada dos processos de aprendizagem, principalmente aqueles que têm alguma expectativa de retorno ao seu país, bem como uma retomada às discussões do contexto brasileiro, no que se relacionam as duas áreas do conhecimento: negócios e educação.

Sobre a expansão destes pólos, o coordenador do Nutec afirma que “a Faculdade Araguaia está apenas iniciando seu processo de internacionalização e democratização da educação brasileira. Ainda temos muitas propostas e novidades a serem colocadas em prática.”